Blockchain em Finanças - Perguntas e Respostas


A revista CIO Outlook entrevistou Bernardo Madeira, especialista de Blockchain para B2B e B2C, fundador da Smartchains e Interchains na américa látina. Segundo sua visão, estas as tendências tecnológicas para 2019 em finanças.


- Para começar, me conte um pouco da empresa: quando foi fundada, por quem, o que faz, qual é o diferencial dela de mercado, faturamento


Interchains foi fundada por Bernardo de Souza Madeira em Março de 2017, ex-IBMista com experiencia de mais de 20 anos em tecnologias de gestão de informação e arquiteto de america latina de Blockchain. Somos uma empresa de consultoria especializada no desenvolvimento de projetos da Blockchain em redes permissionadas (privadas) sobre uma alta gama de plataformas como Ethereum/ Hyperledger/ Corda/ Quorum/ IOTA, etc. Somos especialistas na geração de demanda e implementação de projetos de Blockchain para B2B. Nosso negócio é desenvolvimento de Smart Contracts sobre Blockchains privados, conectando pessoas, processos e sistemas para transacionarem de uma maneira privada, segura, escalável e confiável. Sistemas legados na cadeia e fora da cadeia de desenvolvimento. Criação de MVP, Design Thinking. Projeto e implementação de projetos.

Nossa missão é a de alavancar novos modelos de negócios por meio da tecnologia Blockchain nos ambientes Business-to-Consumer e Business-to-Business, criando novas arquiteturas e implementando business cases em mercados multi-setor. Engajamos desde o estágio inicial de adoção de blockchain, análise e design, arquitetura e implementações de contratos inteligentes.


Nossa visão é transformar a Interchains na maior empresa de Consultoria Blockchain na América Latina.


- Como você avalia o ambiente para blockchain no Brasil? Por exemplo: o que está sendo feito nesta área, há receptividade por parte das empresas etc


O mercado brasileiro está muito receptivo e interessado nos benefícios que Blockchain e os modelos de implementação sobre esta plataforma vem a trazer. As industrias mais ativas hoje são a financeira, agronegócio e energia, mas estamos trabalhando em casos de uso em telefônicas.


Existem vários modelos de implementação que estamos implementando nesta área, dentre eles estão:

  • Blockchain para IoT para controle de operação e gestão de SW e Firmware;

  • Tokenização para intercâmbio de maneira segura e privada qualquer ativo ou compromisso entre participantes.

  • BPM para aumentar a confiança entre atores e participantes em cada iteração de processos;

  • Blockchain Supply que apresenta um ganho em eficiência e velocidade de acompanhamento de transações graças a distribuição completa da informação;

  • Blockchain Identidade que permite emitir uma “prova de existência” para todo tipo de documentos e identidades;


- Como você vê o interesse das instituições financeiras em blockchain? Como está o cenário para uso de blockchain por bancos?


A indústria financeira foi a primeira em adotar blockchain para entender o potencial e realizar testes da tecnologia. Existem vários casos de uso que os bancos consideram de alto potencial para resolver problemas concretos. A continuação descrevemos os problemas de negócio que os bancos apresentam, como podem ser endereçados com soluções de Blockchain e os benefícios que esta implementação traz.

- Quais têm sido as soluções mais populares em blockchain para bancos? Por quê?


A maioria dos bancos está experimentando nas tecnologias Ethereum, Hyperledger, Corda e Quorum. A razão é que estas tecnologias oferecem a funcionalidade de Smart Contracts. Um contrato inteligente é um programa feito para facilitar, verificar, reforçar a negociação, avaliar o desempenho e automatizar a execução de um acordo sem a necessidade da intervenção humana. Estes contratos são escritos em código (linguagem de programação), são executados pelo sistema, mas escritos em linguagem jurídica e devem envolver duas ou mais partes e são definidas regras e consequências da mesma maneira do que um documento legal faria, declarando as obrigações, os benefícios e as penalidades que possam acontecer para cada uma das partes envolvidas. Um grande benefício é que, um smart contract é capaz de obter informações, processá-las de acordo com as regras configuradas e, como resultado, tomar as devidas providencias previstas nele, sem necessidade de intermediários.


- Os bancos, junto com a Febraban, estão avaliando blockchain e fazendo pilotos. A parte desta iniciativa, como você vê as iniciativas "individuais"?


Vemos com grande potencial iniciativas de Startups que estão transformando a forma de oferecer serviços e fazer negócios já que vem blockchain como uma tendência disruptiva e inovadora que pode transformar a prestação dos seus serviços, aumentar a confiança, a produtividade e a eficiência dos processos. Um claro exemplo são as novas economias que o modelo de Tokenização vem a trazer, amarrando um token a um serviço dentro de um consórcio.


- Há características particulares do mercado brasileiro na adoção de blockchain na indústria geral e na financeira?


As características e principais casos de uso do brasil para os bancos foram descritos na pergunta numero 3.


- Quais são os desafios para o blockchain no Brasil?


Os principais desafios é o de quebrar o conceito que Blockchain é uma criptomoeda. Quando falamos de Blockchain como uma plataforma de criptomoedas, nos limitamos ao 10% do seu potencial. Em redes B2B e B2C, podemos expandir as capacidades transacionais para vários modelos de negócio: gestão de IoT, otimização e controle de processos, transparência e eficiência na auditoria graças a rastreabilidade em cadeias de suprimentos ou de transações, diminuição de fraude, visão holística e consolidada de clientes e bens. Todos estes casos de uso são implementados no modelo B2B e como objetivo a diminuição de custos, riscos e tempo, assim, aumentando a receita, atingindo os objetivos corporativos e reduzindo a "fricção de mercado".


Blockchain irá trazer uma enorme redução de custos e as companhias irão experimentar uma grande facilidade de expandir seus negócios, seja entrando em um novo setor assim como expandido seus ecossistemas, mas outro grande desafio é mapear possíveis entraves burocráticos que inviabilizem uma implementação e que possam frustrar a adoção deste modelo.


- Como vencer estes desafios?


O primeiro desafio o venceremos graças a disseminação do conhecimento, enquanto que, para vencer o segundo grande desafio, a sugestão é começar pequeno. Pensar em grande, sim, mas começar com um piloto controlado mapeando disponibilidade de recursos, viabilidades técnicas, sponsorship executivo, potencial de renda/ economia, visibilidade interna/ externa, entraves burocráticos e capacidades de expansão.


Por Bernardo de Souza Madeira – Especialista em Blockchain da Interchains

4 visualizações

© 2018 Interchains Consultoria

  • Facebook ícone social
  • Twitter
  • LinkedIn ícone social